Hemodiálise

A hemodiálise está indicada para pacientes com insuficiência renal aguda ou crônica graves. A indicação de iniciar esse tratamento é feita pelo seu médico especialista em doenças dos rins (o nefrologista). O procedimento é feito através de uma máquina que limpa e filtra o sangue, fazendo o trabalho que o rim não consegue fazer.

O Centro de Hemodiálise do Hospital da FAP, tem como objetivo garantir um tratamento digno aos pacientes renais visando o bem-estar físico e emocional do paciente e seus familiares. O serviço recebe pacientes do Sistema Único de Saúde – SUS, oferecendo um atendimento de qualidade à quem não pode pagar por ele.

A instituição oferece tratamento conservador e a modalidade de hemodiálise para os pacientes renais crônicos, que residem em Campina Grande – PB e municípios circunvizinhos, que são atendidos por uma equipe multidisciplinar, de segunda a sábado, das 5hrs às 19hrs.

O cuidado com os detalhes em toda estrutura física, investimento em limpeza, conservação e melhorias, cooperam no atendimento com excelência aos pacientes.

TRATAMENTO DE ÁGUA PARA O SETOR DE HEMODIÁLISE

A qualidade da água usada no tratamento da hemodiálise é de extrema importância para o sucesso do procedimento de uma sessão do tratamento. Cada paciente tem contato com, aproximadamente, 220 litros de solução de diálise. O rígido controle da qualidade da água para o tratamento se dá pelo fato dela ter acesso direto a corrente sanguínea do paciente.

O Hospital da FAP, utiliza o sistema de Osmose Reversa que é o mais utilizado para oferecer água de melhor qualidade. Composto por várias colunas de filtros em série, sendo uma de areia, de vários tamanhos de grãos com função de reter partículas como o lodo, grãos de areia, resíduos de encanamento e outras impurezas melhorando a cor e o sabor, outra de carvão com função de absorver cloretos, cloraminas e substância de matéria orgânica e uma de abrandador com resina catiônica removendo íons de cálcio, magnésio, ferro e magnés, através do processo de troca com sódio contido na resina.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária efetua análise bacteriológica mensalmente e físico-química semestralmente.