Novo esclarecimento

A imprensa divulgou, equivocadamente, que a Polícia Federal teria realizado uma operação na FAP e que haveria numa clínica privada um tomógrafo pertencente a esta fundação, o que não reflete a realidade. Na verdade, o caso trata apenas de uma investigação acerca de a destinação de recursos públicos repassados para a aquisição de um tomógrafo, onde foram requisitados pela Autoridade Policial à Justiça Federal mandado de busca acerca de eventuais documentos correlatos, oportunidade na qual o Hospital da FAP disponibilizou todos os documentos que dispõe e colocou-se à disposição para dirimir quaisquer dúvidas.
Ademais, é absolutamente improcedente a veiculação de que a fundação teria desviado qualquer importância de valores públicos, pois o valor noticiado foi devidamente utilizado para a aquisição de um tomógrafo que se encontra na FAP, nada tendo a ver com o tomógrafo existente em quaisquer clínicas particulares. Esclarece, portanto, que nenhum equipamento foi apreendido nem tampouco foram interrompidos os serviços essenciais que a FAP presta à população de todo o Estado da Paraíba, informando que todos os serviços médico-hospitalares se encontram funcionando com a mesma regularidade e os respectivos exames se realizando dentro da normalidade. Repete-se, trata-se de uma investigação, não havendo que se falar em “constatação de fraude” muito menos “prejuízos aos cofres públicos”.
Assim sendo, trata-se de uma apuração, sendo prematuras acusações e veiculações de matérias jornalísticas sem o mínimo de cautelas e que não traduzem a verdade e o DEVER DE DIVULGAR. A FAP é uma fundação filantrópica que atua há quase 60 anos no Estado da Paraíba, prestando incensuráveis serviços sobretudo à população carente, sobrevivendo de doações públicas e privadas, motivo pelo qual exerce suas atividades dentro da legalidade. Toda acusação deve ser apurada, mas em restrita observância ao devido processo legal, ao contraditório e à ampla defesa. A liberdade de expressão e de imprensa são asseguradas na Constituição Federal, do mesmo modo que são repudiadas a ofensa à honra e à dignidade das pessoas físicas e jurídicas, sendo inadmissíveis e punidos os excessos praticados.

Atenciosamente,

FUNDAÇÃO ASSISTENCIAL DA PARAÍBA – FAP